Política e religião juntas, sim senhor

Política e Religião não se misturam? Quanto mais os globalistas declaram que querem comandar todo o mundo, como se fosse o quintal de suas casas, mais os patriotas reagem e se organizam para defenderem suas pátrias, cada uma com seu jeito, sua cultura; por isso são chamados de conservadores.

Quanto mais o islã se espalha pelo mundo junto com os movimentos de migração, pregando ódio contra o cristianismo, mais os cristãos se organizam em pequenos núcleos de oração e trocas de reservas morais, espirituais e financeiras, (que chamamos de igrejas) e também se organizam em partidos políticos para terem chances de barrar o avanço do poderio muçulmano.

Ou seja, o globalismo pariu o patriotismo e a escalada muçulmana pariu os partidos cristãos.

Não vou entrar em assuntos religiosos, até porque não domino e nem sou exemplo de dedicação à Igreja, mas compreender que há uma disputa de territórios (igual tínhamos nas guerras antigas) onde o exército inimigo quer nos convencer a orar pelo deus deles e seguir todas as regras que retiram nossa liberdade podendo até nos matar, é imprescindível para que as pessoas possam dar palpites políticos.

Quando vejo a comunidade gay e as feministas aplaudindo o presidente da França e sua política de imigração, que inundou a capital de muçulmanos radicais, exigindo que as francesas não andem sem companhias masculinas, que cubram seus corpos e ainda sentem repulsa e ódio mortal pelos gays, eu me questiono: essa turma não lê sobre geopolítica? Será que não entenderam que a Europa do “topless” está virando um califado árabe repleto de burcas? Será que ainda não perceberam que só quem pode salvá-los são,  justamente, os patriotas conservadores que eles tanto criticam?

Já Conhece o Meu Clube Conservador?

Assine o Kit Virtual do Meu Clube Conservador por apenas R$ 29 mensais e tenha acesso a cursos online com emissão de certificado, eBooks e palestras.

As posições expressas em artigos por nossos colunistas, revelam, a priori, as suas próprias crenças e opiniões; e não necessariamente as opiniões e crenças do Burke Instituto Conservador. Para conhecer as nossas opiniões se atente aos editoriais e vídeos institucionais

Raquel Brugnera

Raquel Brugnera

Escritora e articulista política, pedagoga, pós-graduando em Estratégia Política e Marketing Eleitoral.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Comentários

Relacionados