Casamento e Filhos: Sua Responsabilidade.

            O que é mandado social? Muitas pessoas nunca ouviram falar sobre mandado social, infelizmente homens e mulheres que cresceram dentro da igreja e firmaram matrimônio não tem a mínima noção do que seja mandado social. Mas afinal o que é mandado social? Para encontrar a reposta a essa pergunta se deve recorrer as Escrituras, somente nela pode-se achar uma reposta clara. O livro de Gênesis, mostra a criação de todas as coisas, inclusive do homem e da mulher. Após Deus ter criado o homem (cf. Gn 1.26), e a mulher (cf. Gn 2.21-23), Ele estabelece a família: “Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne” (Gn 2.24). Deus também transmite a Adão uma ordem muito clara: “E os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a” (Gn 1.28a). Gerard Van Groningen ao falar sobre a missão do homem em se multiplicar, afirma que homem e mulher criados a imagem de Deus, são seus representantes na terra, os meios pelo qual o Criador estabeleceu para a continuidade dos seres humanos[1]. Há uma ordem clara em Gênesis ao homem que um dos seus deveres é povoar a terra e sujeitá-la. Alicerçado no que as Escrituras afirmam, chega-se à conclusão: O mandato social é o estabelecimento da união do homem e da mulher pelo matrimônio para que se multiplique e sujeitem a terra, vivendo em comunhão com o Criador e com o próximo. Jay E. Adams diz que a primeira cerimônia foi realizada no jardim do Éden, e o sacerdote do casamento foi o próprio Deus[2]

         Sendo o mandado social uma ordem clara dada por Deus, por quê muitas pessoas que estão dentro da igreja e até cresceram na própria jamais ouviram falar sobre mandado social? As respostas que se podem dar a essa pergunta são infinitas, porém a mais comum delas é que não é ensinado mais nas igrejas sobre a responsabilidade dos cristãos nesse mundo; a maioria das pessoas que hoje frequentam a igreja estão à procura de riqueza e conforto, logo trabalhar para cumprir os mandatos sociais não fazem parte de suas agendas. Andreas J. Kostenberger com David W. Jones, desenvolvem um belo gráfico sobre a responsabilidade familiares segundo as Escrituras[3] confrontando aqueles que desejam fugir de suas responsabilidades no casamento.  É claro que para se cumprir o mandato social é preciso que haja relacionamento, porém, as pessoas que hoje estão à procura de firmar uma aliança matrimonial encontram alguns problemas devido seus olhares distorcidos sobre o propósito de seus relacionamentos, e o grande problema nessa busca é que não estão buscando cumprir o mandado social e sim realização pessoal.

         Depois de ter em mente o que é mandado social, não se pode negar que a humanidade veio a se reproduzir através dele. Em todos os finais de semanas a milhares de pessoas se casando em cartórios e igrejas e com isso estão cumprindo o mandato social. É obvio como já dito que o mandato social envolve relacionamento de um homem com uma mulher, entretanto, nos dias atuais dentro das igrejas é muito comum encontrar casais que não desejam ter filhos (multiplicar-se). Hoje, já existem livros sendo publicados e sites na internet defendendo esta ideia[4], mas será que essa vontade de não querer ter filhos é a vontade de Deus para vida desses casais? O que as Escrituras podem dizer a respeito disso? Antes de buscar qualquer resposta para essas perguntas é bom deixar claro que os casais que estão sendo mencionados são homens e mulheres saudáveis e que não teriam nenhum problema em terem filhos, mas optaram por não ter.

Alegações usadas pelos casais para não terem filhos.

         Casais saudáveis que não querem ter filhos usam de várias justificativas para posição que tomaram. Algumas delas são:

  • Gostamos muito de viajar e mal ficamos em casa, logo uma criança atrapalharia nossa rotina de viagens.
  • Nunca gostamos de crianças, pois vivem fazendo bagunça e precisam de cuidados o tempo todo.
  • Optamos por não ter filhos devido as condições financeiras, uma criança gera muitos gastos.
  • Filhos causam muitos transtornos e preocupações excessivas na juventude.
  • Não desejo ter filhos, porque uma criança estragaria meu corpo.
  • Vivemos em uma geração muito violenta e temos medo de criar um filho em um mundo tão hostil.
  • Não desejamos ter filhos, porque não temos tempo para cuidar.

Esses são alguns argumentos usados por casais saudáveis que não querem ter filhos, há muitos outros argumentos para defenderem suas posições, porém esses são os mais usados.[5]

O que a Bíblia diz sobre filhos?

         Já que o mandato social é uma ordem expressada por Deus. O que as Escrituras tem a dizer sobre os filhos?

  • “Herança do Senhor são os filhos, o fruto do ventre, seu galardão. Como flechas na mão do guerreiro, assim os filhos da mocidade. Feliz o homem que enche deles a sua aljava; não será envergonhado, quando pleitear com os inimigos à porta” (Sl 127.3-5).
  • “Tua esposa no interior de tua casa, será como videira frutífera; teus filhos como rebentos da oliveira à roda da tua mesa” (Sl 128.3).
  • Uma das promessas centrais das Escrituras feita a Abraão envolve a multiplicação: “Farei da tua descendência como o pó da terra; de maneira que, se alguém puder contar o pó da terra, então se contará também a sua descendência” (Gn 13.16).
  • “Não será esse o teu herdeiro; mas aquele que será gerado de ti será o teu herdeiro… olha para os céus e conta as estrelas, se é que o podes. E lhe disse: Será assim a tua posterioridade” (Gn 15. 4-5).
  • “Servireis ao Senhor, vosso Deus, e ele abençoará o vosso pão e a vossa água; e tirará do vosso meio as enfermidades. Na tua terra, não haverá mulher que aborte, nem estéril; completarei o número dos teus dias (Ex 23.25-26).

As Escrituras deixam bem claro a benção de ter filhos, cumprindo o mandato social de Deus em multiplicar-se. Os Salmos mostra como é feliz o homem que tem filhos; uma das promessas centrais ou melhor dizendo a promessa central feita a Abraão envolve a sua descendência; ao povo foi feita a promessa que Deus afastaria a enfermidade e suas mulheres não abortariam e nem seriam estéreis se permanecessem fieis.

As Escrituras revelam também que as mulheres que não podiam ter filhos sofriam e eram descriminadas, como Raquel que disse a Jacó: Dá-me filhos, senão morrerei” (Gn 30.1), a situação de Sara (cf. Gn 16), Ana (cf. 1Sm 1), Isabel (cf. Lc 1.25). Todas essas mulheres citadas nas Escrituras sofriam demais por não poderem gerarem, porém, Deus as abençoou e conceberam grandes homens.

Analise das motivações de casais cristãos saudáveis para não ter filhos segundo as Escrituras.

         É inegável que as Escrituras apresentam o mandado social para o casal como uma ordem a ser cumprida. Porém, alguns casais optaram por não cumprir essa ordem e alegam ter motivos plausíveis para não terem filhos. Esses motivos necessitam ser avaliados a luz das Escrituras a fim de saber se são genuínos e não estão contra uma ordem expressa de Deus.

         Ao analisar o propósito da criação do homem é impossível dizer que os argumentos apresentados pelos casais saudáveis que não querem ter filhos estejam corretos, afinal, o propósito final do homem é glorificar a Deus através do seu ser e as Escrituras deixam bem clara essa ideia: “Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém” (Rm 11.36). O apóstolo amado ao escrever seu evangelho afirma: “Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez” (Jo 1.3). Se todas as coisas foram feitas por Ele, e toda glória deve ser dada a Ele, não se pode dizer que contrariar uma ordem expressa e clara com argumentos fúteis possa ser não compreendida como pecado.

         Se os casais saudáveis não querem ter filhos por causa que isso lhe custaria tempo ou envolve muito trabalho, suas motivações são simplesmente egoístas e gananciosas, pois na busca de ter sossego, conforto ou ter muito dinheiro, deixam de cumprir o propósito de Deus através do mandato social, assim pecando contra a finalidade do homem para o seu Criador e a ordem de “sede fecundos”.

         Já os casais que alegam não ter filhos por falta de condições financeiras devem em primeiro caso analisar o porquê estão nessa situação, muitos casais se envolvem em dívidas imensas no desejo de ter conforto e luxo, o pecado da ganância em ter bens matérias os fazem afundar em um poço de dívidas sem fim, outros casais não conseguem trabalho e isso as vezes não implica necessariamente que estão negligenciando emprego, mas devido a situação econômica de onde vivem não conseguem sustento. É claro que ter um filho com dívidas enormes a pagar ou quando não se tem emprego não é o ideal, porém situações como essas apresentadas podem ser revertidas; logo usar desse argumento de forma permanente para viver um casamento sem ter filhos não pode ser considerável plausível. As Escrituras são claras em relação do papel do homem como provedor: “No suor do rosto comerás o teu pão, até que tornes à terra” (Gn 3.19).

         O argumento baseado nos dias maus e violentos e por isso a melhor decisão é não ter filhos, visto que uma criança é muito frágil para viver em um mundo caótico. É argumento que a princípio mostra piedoso, contudo, revela uma tremenda falta de confiança em Deus e na sua palavra, afinal de contas não foi Ele que deu a ordem “multiplicai-vos”?  Se o próprio Deus deu uma ordem é claro que ele dará o sustento e os alicerces para que ela possa ser estabelecida. A falta de confiança em Deus, acarreta em descumprimento as suas ordens, os casais que usam desse tipo de argumento para não ter filhos têm pecado por incredulidade. As Escrituras deixam claro que o homem pode confiar em Deus plenamente, “Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento” (Pv 3.5).

         O culto ao corpo é um dos motivos que tem levado muitas mulheres a não quererem ter filhos, enquanto as Escrituras narram as histórias de mulheres como Raquel, Sara, Ana e Isabel que ansiavam por serem mães, pois sabiam que era um dos seus papéis, há mulheres nos dias atuais que não desejam ter filhos em hipótese alguma. Em uma era onde o corpo é tão valorizado e sinal de beleza e poder a gravidez não é bem vista, porém, Deus criou a mulher para que seja a auxiliadora do homem e que através de seu ventre seja gerado seus filhos, “Multiplicarei sobremodo os sofrimentos da tua gravidez; em meio a de dores darás à luz filhos” (Gn 3.16a). Devido ao pecado a mulher passou a conceber em meio a maiores dores, porém, sempre foi o seu papel gerar os filhos dos homens.

 Conclusão.

Depois de entender o que é mandato social e o que as Escrituras ensina sobre esse assunto, fica difícil encontrar argumentos favoráveis de casais saudáveis que optaram por não ter filhos, visto que os argumentos mais apresentados por esses casais na maior parte dos casos estão sendo apoiados por motivações pecaminosas. Ao analisar o que as Escrituras falam sobre os filhos só se pode chegar à conclusão que eles são dádivas do Senhor aos homens. O plano de Deus para o homem é que ele constitua uma família afim de viver para glória do Senhor. Andreas J. Kostenberger com David W. Jones, lembra-nos que é por meio do casamento que homens vêm existir para glorificar e servir a Jesus Cristo, e o casamento não é simplesmente gerar filhos, mas educá-los para serem obedientes a Cristo, é através do casamento que novos homens são criados para servir a Jesus Cristo.[6]

As Escrituras não deixam uma ordem clara sobre quantos filhos um casal deve ter, nos exemplos apresentados por ela de homens e mulheres que constituíram matrimônio, há famílias grandes e outras famílias pequenas, entretanto, exceto em casos de impossibilidade devido a algum problema como esterilidade os casais não tinham filhos.

Entender e praticar o mandato social faz parte de uma das tarefas dadas ao homem desde a criação, é importante que seja ensinado nas igrejas para homens e mulheres percebam qual é o seu papel diante de Deus. Argumentos paupérrimos querendo não cumprir uma ordem expressa de Deus, devem ser rejeitados veementemente.

Os cristãos não podem serem induzidos por uma cultura anticristã, onde propaga-se sexo livre, falta de responsabilidade, imaturidade relacionamentos solúveis, alegria momentânea, antropocentrismo e culto à personalidade. Deus estabeleceu o matrimônio, o trabalho, a família, para que os homens possam refletir sua glória e para que Ele seja glorificado através disso. Se homens e mulheres querem viver para si, seus valores estão firmados em Hollywood ou em Woodstock, porém, nunca estarão em Deus.

 

[1] GRUNINGEN, Gerard Van. Criação e Consumação. São Paulo – Editora Cultura Cristã. 2002. pág.87

[2] ADAMS. Jay E. A Vida Cristã no Lar. São José dos Campos – SP. Editora Fiel. 2011. pág. 61

[3] KOSTENBERGER, David W. Jones. Andreas J. Deus Casamento e Família reconstruindo o fundamento bíblico. São Paulo: Vida Nova, 2011. pág. 118

 [4] A Editora nVersos traz à tona importante discussão com o novo perfil das famílias brasileiras. Escrito por Edson Fernandes é doutor em Comunicação, professor universitário, escritor e pesquisador. Margareth Moura Lacerda é psicóloga, pedagoga e filósofa, e trabalha na área de Recursos Humanos. O livro pode ser encontrado no site: http://www.nversos.com.br/index.php?route=product/search&search=sem%20filhos%20por%20op%C3%A7%C3%A3o

[5] Para maiores informações sobre o assunto leio o artigo “Conheça a história de casais que optaram por não ter filho” no site: http://www.jornalnh.com.br/_conteudo/2014/12/noticias/regiao/109013-conheca-a-historia-de-tres-casais-que-optaram-por-nao-ter-filhos.html

[6] KOSTENBERGER, David W. Jones. Andreas J. Deus Casamento e Família reconstruindo o fundamento bíblico. São Paulo: Vida Nova, 2011. pág. 121

Aprenda sobre conservadorismo, direito, política, história, filosofia, cristianismo, economia e educação.

As posições expressas em artigos por nossos colunistas, revelam, a priori, as suas próprias crenças e opiniões; e não necessariamente as opiniões e crenças do Burke Instituto Conservador. Para conhecer as nossas opiniões se atente aos editoriais e vídeos institucionais

Wesley Felipe

Wesley Felipe

Wesley Felipe dos Santos, é um dos fundadores do Burke Instituto Conservador. Casado com Larissa Marazzio. É bacharel em teologia pelo Cetevap (Centro Estudos Teológicos Vale Paraíba) e covalidado pela Faterj, coordenador de cursos do Ministério Ler, membro do Templo Batista Bíblico de São José dos Campos –SP.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Comentários

Relacionados