YES TO LIFE! [SIM À VIDA!]

Ordinariamente a mídia e os progressistas de plantão são bem ávidos para acusar os cristãos de não proporem soluções para resolver a aflição de mulheres que desejam abortar, o que é uma grande falácia, prova disto foi o Congresso Internacional “Yes to Life! Cuidar do dom precioso da vida na fragilidade”, realizado no Vaticano, em 2019.

A Igreja Católica Apostólica Romana deu um belo exemplo ao oferecer um “intenso momento de formação e informação científica e pastoral para o acompanhamento de casais e famílias que vivenciam o nascimento de uma criança que sofre de patologias congênitas, apresentando claras alternativas concretas ao aborto[1]. O trabalho do Dicastério para Leigos, a Família e a Vida, difundido pelo seu secretário P. Alexandre Awi Mello, I. SCH. revela a amplitude do projeto da cristandade, em promover um cuidado completo no quesito dignidade da pessoa humana, que vai desde formação e informação pastoral e científica, até o tema dos cuidados perinatais e do acompanhamento das famílias, como ele mesmo informa.

Como fruto desse trabalho, o Vaticano publicou e-book sobre o tema. A obra “Yes to Life! Taking Care of the precious gift of life in its frailness”, traz vários testemunhos de famílias que precisaram lidar com a notícia de que os filhos nasceriam com alguma anomalia ou deficiência. Desde o discurso do Papa Francisco na Sala Clementia[2] que aponta as razões confessionais, pastorais e científicas que comprovam a vida humana desde a concepção, até uma panorama antropológico e psicossocial sobre a vida humana, o livro mostra a amplitude do trabalho que o cristianimo exerce sobre a preservação da vida humana e promoção de cuidados para as mães.

O Diretor do Perinatal Hospice of “A. Gemelli” University Polyclinic Foundation aborda a temática de uma maneira muito interessante, que pode ser exemplo para médicos e acadêmicos brasileiros, vejam:

1. Aconselhamento e estudo de patologias parentais (história natural);

2. Cuidados médicos, psicológicos e humanos para gestações patológicas;

3. Terapias pré-natais invasivas e não invasivas; analgesia para dor fetal em casa de procedimentos que atravessam o corpo fetal (cuidados paliativos pré-natais);

4. Acolhimento e acompanhamento de crianças com condições limitantes da vida e de suas famílias;

5. Cuidados de conforto e cuidados paliativos pós-natal;

6. Documentos compartilhados […] a personalização da atividade científica, ética, clínica […][3].

Muitas vezes, deparamo-nos com indagações capciosas no sentido de como a Igreja tem atuado em prol das mulheres menos favorecidas, e, especialmente, daquelas desesperadas em assumir o compromisso da maternidade. A argumentação pró-escolha (abortista) carece de viabilidade existencial, despreza esforços reais e não é nem um pouco precisa em sua contabilidade. Por esses motivos, que não ultrapassam a razão primária da vida possuir um fim em si mesma, é que precisamos dar publicidade para iniciativas como essa.

Este é apenas um exemplo, entre tantos, de como a Igreja exerce sua vocação social em prol dos vulneráveis. Um dos aconselhamentos pastorais do livro é a Igreja incentive que as pessoas busquem formação na ciência, no Direito, nas políticas públicas, além de comungar esforços com aqueles que possuem experiência prática nos tantos problemas que nos assolam. Fomos chamados para unificar a vida de teoria com a prática e, especialmente, por em prática o que defendemos. O e-book completo, você pode acessar aqui: < http://www.laityfamilylife.va/content/laityfamilylife/pt/documenti/yes-to-life-ebook.html > .


[1] Yes to Life! Prendersl cura del prezloso dono dela vita nella fragilitá. Att del convegno. Roma, 23-25 maggio, 2019. Libreria Editrice Vaticana. P. 23

[2] [“Entre ela [a mãe] e a criança instaura-se imediatamente um intenso diálogo cruzado, que a ciência denomina cross-talk.], ibidem, p. 51.

[3] Original: “1. Counselling and study of parental pathologies (natural history); 2. Medical, psychological and human care for pathological pregnancies; 3. Invasive and not invasive prenatal therapies; analgesia for fetal pain in casa of procedures that cross fetal body (prenatal palliative care); 4. Welcoming and accompaniment of children with life limiting conditions and their families; 5. Comfort care and post-natal palliative care; 6. Shared documents [ […] the personalization of the activity scientific, ethical, clinical […] ].” Yes to Life! Prendersl cura del prezloso dono dela vita nella fragilitá. Att del convegno. Roma, 23-25 maggio, 2019. Libreria Editrice Vaticana, p. 79. Tradução Livre.

Aprenda sobre conservadorismo, direito, política, história, filosofia, cristianismo, economia e educação.

As posições expressas em artigos por nossos colunistas, revelam, a priori, as suas próprias crenças e opiniões; e não necessariamente as opiniões e crenças do Burke Instituto Conservador. Para conhecer as nossas opiniões se atente aos editoriais e vídeos institucionais

Thiago Rafael Vieira

Thiago Rafael Vieira

Graduado pela Universidade Luterana do Brasil - ULBRA (2004), advogado, membro da OAB/RS, inscrito sob o n.º 58.257 (2004), OAB/SC sob o n.º 38.669-A e da OAB/PR sob o n.º 71.141; especialista em Direito do Estado, com ênfase em Direito Constitucional pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS (2006). Pós-graduado em Estado Constitucional e Liberdade Religiosa pela Universidade Mackenzie, pela Universidade de Oxford (Regent’s Park College) e pela Universidade de Coimbra (2017). Professor visitante da ULBRA e de cursos jurídicos, tem atuado preponderantemente na área de Direito Religioso e Empresarial, tanto na área consultiva, como no contencioso e assessoria a organizações religiosas e empresas. Presidente do Instituto Brasileiro de Direito e Religião - IBDR; Vice-presidente do Instituto Cultural e Artístico Filadélfia – ICAF; foi membro do Conselho Diretivo Nacional da ANAJURE, nos cargos de Diretor Jurídico e posteriormente de Diretor para Assuntos Denominacionais até 11/2018. Co-autor com Jean M. Regina da obra “Direito Religioso: questões práticas e teóricas. Porto Alegre: Editora Concórdia, 2018.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Comentários

Relacionados